Por que preciso de um Plano?

Porque preciso de um plano

 

Desenvolver um plano estratégico não é fácil. Além de exigir considerável tempo e recursos, exige também que as pessoas mais experientes (que muitas vezes são as mais bem pagas) se envolvam mais profundamente. Planejamento precisa ser bem feito, pois além de ser custoso à empresa, pode te levar a um caminho errado se não pensado adequadamente.

Mas afinal, se é tão complicado iniciar um planejamento de forma consistente e segura, por que eu preciso de um plano? No post de hoje vamos citar alguns motivos que nos fazem aventurar por este caminho desafiador, porém necessário.

 

1 – Apontar a direção e prioridades

Uma estratégia é essencial, pois ela define a direção para onde a empresa estará apontando seus esforços e consequentemente, definindo as prioridades a serem seguidas. Ela define a sequência de passos e atividades a serem executadas em direção a visão de futuro. Esses passos devem ser segmentados em pequenos objetivos que possam ser alcançados, e que combinados, permitem o alcance dos macro objetivos institucionais.

Um plano estratégico ajuda as pessoas a saber o que precisa ser feito primeiro e em quanto tempo. Essa pequena “pressão” evita que o comodismo tome conta e previne que a  empresa entre em uma situação de estagnação.

 

2 – Trazer todos para o mesmo time

Divergências entre setores, departamentos e equipes, existem em qualquer empresa. Mesmo que cada área tenha diferentes atribuições e possivelmente enxergam suas atividades de forma diferente, é preciso oferecer um “plano de fundo” no qual todas saibam as direções que a empresa está seguindo.

Isso é possível tornando claro o planejamento estratégico a todos e indicando como cada uma das equipes se encaixa na caminhada rumo a visão de futuro. Uma vez esclarecido esse direcionamento estratégico, será possível criar objetivos organizacionais globais, mas que poderão ser alcançados por meio de objetivos menores em cada uma das áreas.

 

3 – Simplificar a tomada de decisão

Pense comigo, você possui uma série de objetivos estratégicos definidos que representam um “passo-a-passo” para alcançar a visão estratégica. Você possui também uma série de indicadores e métricas que indicam se determinado objetivo está sendo atingido ou não. Com essas informações em mãos, fica fácil identificar as deficiências organizacionais e focar seus esforços onde realmente é necessário.

Uma vez construído o planejamento e criados meios para seu acompanhamento, a tomada de decisão torna-se muito mais simples, pois deixa de ser fundamentada no “achismo” e passa a ser baseada em resultados.

 

4 – Otimizar recursos

A estruturação de um planejamento estratégico por meio de objetivos, indicadores e projetos, permite ter uma visão geral dos recursos que sobram e dos que faltam. Essa percepção global, auxilia no balanceamento desses recursos, tanto os financeiros como os recursos em pessoas. Todo novo investimento deve possuir um objetivo ou projeto associado, dessa forma, é possível acompanhar a utilização desses recursos comparativamente à execução do planejamento e saber se está sendo efetivo.

 

5 – Passar a mensagem adiante

Muitos líderes caminham por aí com uma estratégia virtual aprisionada em suas cabeças. Eles conhecem as necessidades da sua organização e as principais atividades a serem executadas, mas infelizmente, a estratégia não está descrita oficialmente. Como resultado, poucas pessoas trabalham nessa direção.

Quando as suas equipes, seus fornecedores e até seus clientes sabem para onde você está indo, haverá uma quantidade muito maior de oportunidades e de pessoas dispostas a lhe auxiliar. Não há como executar nenhum dos pontos anteriores deste post, sem tornar pública a sua ideia de estratégia. Eu digo “ideia de estratégia” porque na sua cabeça está um conceito de plano que não considera a opinião das demais pessoas da sua organização. Por isso, considere todas as opiniões e deixe claro o seu plano de futuro para que todos saibam.

 

Referências:

WILKINSON, Michael. The Executive Guide to Facilitating Strategy. 1ª ed. LEADERSHIP STRATEGIES PUBLISHING, 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *