Planejamento Estratégico – Motor Organizacional

Motor Organizacional

Uma empresa é um sistema vivo. E todo sistema vivo possui um ciclo de vida, compondo uma série de fenômenos que ocorrem em uma determinada ordem. Veja a tabelam a seguir que compara o ciclo de vida comum nas pessoas e nas organizações:

Ciclo de Vida Organizacional

A evolução do ciclo de vida nas pessoas é natural e a sua duração depende das condições do meio em que vivem, como alimentação, saneamento, acesso a educação e saúde, acesso a entretenimento, entre outros. Nas organizações a evolução do ciclo de vida não é natural como nas pessoas, mas a duração de cada ciclo depende também de fatores internos e externos, como, engajamentos das pessoas, visão de negócios, tamanho e atingimento de mercado.

Podemos definir como “Motor Organizacional” as capacidades das empresas em superar os diferentes estágios do ciclo de vida e de alcançar os objetivos estratégicos planejados. A imagem a seguir demonstra o ciclo de vida tradicional nas organizações. Geralmente as empresas regulam o seu motor organizacional para permanecer nos estágios compreendidos na linha vermelha contínua:

 

Ciclo de vida Organizacional

Nos estágios iniciais do ciclo de vida, start-up e crescimento, os principais desafios da organização estão associados aos fatores externos orientados para o mercado e para a geração de receita. Já nos estágios finais de crescimento e plenitude, os desafios se voltam para dentro da organização, para os fatores associados aos processos, estrutura e pessoas.

O estágio de plenitude é perigoso, pois costumeiramente traz comodismo aos gestores e facilmente pode ser convertido em um estágio de declínio. É importante inserir um ciclo de melhoria contínua nessa etapa, efetuando o planejamento de novos produtos ou serviços, desenvolvendo novos negócios, expandindo ou consolidando, integrando a cadeia de valor, etc.

Mas como identificar a força do Motor Organizacional? A resposta é simples: Indicadores de Desempenho e Potência. São eles que mensuram os resultados organizacionais e permitem a analisar se haverá força o suficiente no motor para alcançar os objetivos estratégicos estipulados. Veja alguns indicadores que auxiliam a compreender a força do motor organizacional:

  • Indicadores de Desempenho
    • Crescimento da Receita
    • Crescimento da Margem de Lucro Operacional
    • Crescimento da Base de Clientes
    • Crescimento da Receita por Cliente
  • Indicadores de Potência
    • Política de Desenvolvimento de Pessoas
    • Capacidade Gerencial para mapear lacunas e definir metas
    • Energia para a Execução
    • Sistemática de Acompanhamento

Conhecer a força do motor organizacional ajuda a entender o tamanho dos passos a serem dados em busca da visão estratégica. Esse auto-conhecimento é essencial para formar bases de execução e prevenção em todas as estratégias corporativas. Ferramentas como o Gpam, auxiliam a compreender a relação entre os resultados obtidos e os objetivos estratégicos, permitindo um melhor entendimento da potência do Motor Organizacional.

Referências

PEREIRA, Marco Antônio, Gestão Estratégica, Curso de Gestão Voluntária, Centro de Voluntariado de Cruzeiro, 2009

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *