Meta Curta ou Meta Longa?

Chegou o momento de esclarecermos algumas dúvidas frequentes nos momentos de decisão dentro de uma empresa, principalmente no final do ano, onde todos os gestores pensam nos passos futuros da organização e repensam suas metas e estratégias. Qual o tamanho da minha meta? Qual a duração do ciclo de planejamento ideal para atingi-la?

Meta Curva vs Meta Longa

Apesar de o planejamento estratégico permitir um certo grau de visão a longo prazo, o tamanho do ciclo não precisa ser necessariamente longo. A duração de um ciclo de gestão estratégica depende da lacuna entre a situação atual e a visão definida e da capacidade da liderança em implementar as estratégias estabelecidas.

A melhor forma de alcançar um macro objetivo, é subdividindo-o em objetivos menores e atingíveis (mantendo assim o conceito SMART). A própria estruturação do planejamento em Estratégico, Tático e Operacional, permite que as metas longas sejam quebradas em metas mais curtas, mais observáveis, mais fáceis de serem atendidas e compreendidas pelos setores e pessoas envolvidas.

Na verdade, esse é um dos principais motivos pelos quais se deve criar uma estrutura de planejamento estratégico, pois assim, uma meta de longo prazo (resumida pela visão da empresa), pode ser transformada em algo factível e próximo das pessoas da instituição. Os objetivos institucionais deixam de ser apenas um quadro na parede e passam a fazer parte do dia a dia da empresa, em um nível tático e operacional, consolidando uma visão estratégica ao gestor.

Por onde Começo?

Levando para a prática, pode-se trabalhar com duas metas de crescimento de faturamento, por exemplo. Uma delas global, de longo prazo, que vá de encontro com a visão definida pela empresa. A outra meta, deve ser desmembrada entre os diferentes setores ou até de forma individual entre os vendedores, por exemplo, sempre com um certo percentual de superação em relação ao período anterior. Dessa forma, são dadas condições reais para que a meta global, quando combinadas as metas individuais, seja atingida.

Pode-se concluir desta forma, que ambos os tipos de meta, longa e curta, devem ser utilizadas. A meta de longo prazo, deve ser alinhada à visão estratégica organizacional e deve ser revisada ao término de cada ciclo. Já as metas de curto prazo devem ser levadas aos níveis tático e operacional, para que possam ser atingidas pelas pessoas, fazendo com que, se sintam parte da visão. É muito importante que seja dado retorno aos níveis tático e operacional quando uma meta foi ou deixou de ser alcançada. Isso gera uma unificação de forças e um entendimento de que todos são importantes para o alcance dos objetivos institucionais.

Referências

CALDEIRA, Jorge. 100 Indicadores da Gestão. Ed Actual, 2012

LOUNDARES, Paula. Gestão Estratégica: o caminho para a transformação. 1a ed. Falconi, 2008

Créditos da imagem “Por onde começo”: freepik.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *