Estatística 1 – Utilizando o Desvio Padrão na análise corporativa

Este post é o primeiro da série Estatística, onde falaremos sobre a importância e a utilidade do cálculo estatístico para a realização de análises sobre os resultados corporativos. O objetivo é demonstrar que com cálculos simples, é possível tirar conclusões e prever eventos  com muito mais segurança, além de detectar possíveis problemas que antes passariam despercebidos. Falaremos hoje sobre um elemento essencial na análise estatística: o desvio padrão. Com um exemplo simples e cálculos fáceis, é possível obter uma série de conclusões.

Estatística

 

Desvio padrão com exemplo prático

O Desvio Padrão permite ao gestor visualizar qual o nível de dispersão entre os resultados obtidos dentro de um determinado período. Essa informação é útil para que o gestor possa concluir se determinado resultado obtido é considerado normal ou se ele se encontra fora das expectativas. Para melhor entendimento, vamos exemplificar.

Considere um indicador que monitora a quantidade vendida de um determinado produto, e que obteve durante o último ano, os seguintes resultados:

 

desvio padrao 2

 

Para poder avaliar com maior segurança os resultados obtidos, vamos aplicar a fórmula do desvio padrão:

 

desvio padrao 1

 

Separando o cálculo em etapas, podemos compor uma tabela de apoio onde é possível visualizar a variância individual de cada período do ano:

 

 

Ao término no cálculo, chegamos ao resultado aproximado de 95, o que indica que o resultado médio e normalizado do indicador, pode variar entre 95 abaixo da média e 95 acima da média. Considerando que a média dos resultados é de aproximadamente 990, podemos afirmar que qualquer valor entre 895 e 1085 pode ser considerado normal, pois está dentro do desvio padrão. Não devemos confundir o “normal” com “bom”, apenas entenda que trata-se de um resultado esperado e dentro da curva de previsibilidade da sua empresa.

Após o resultado obtido, é possível realizar o processo de análise crítica. Uma série de questionamentos devem ser respondidos pelo corpo gestor que vão auxiliar a diagnosticar possíveis deficiências no processo relacionado:

  • Questionamento 1: O desvio padrão está com um valor próximo de 10% em relação a média dos valores, indicando que há uma dispersão muito elevada e até uma certa imprevisibilidade dos resultados. O que causa essa alta taxa de variação?
  • Questionamento 2: O período de Maio obteve um resultado muito fora da curva de desvio padrão (negativamente). Considerando os anos anteriores, pode-se concluir que trata-se de um comportamento sazonal ou foi algo pontual ocorrido somente nesse período? O que aconteceu?
  • Questionamento 3: Os períodos de Março e Dezembro obtiveram resultados favoráveis, mas também fora da curva do desvio padrão. Como esses resultados foram obtidos? O que foi feito diferente? Como posso aprender com isso e elevar o desempenho nos demais períodos também?

 

Conclusão

As respostas a esses questionamentos serão a base para composição dos projetos estratégicos que irão promover as correções ou manutenções dos processos que levaram aos resultados medidos. Repare que quanto maior o valor do desvio padrão, maior a taxa de dispersão dos resultados, o que acaba prejudicando muito o processo de definição de metas e previsão de resultados.

A padronização dos processos auxilia a controlar a taxa de desvio padrão, uma vez que a produção e venda ocorra de forma mapeada e controlada, é muito mais fácil prever os resultados, principalmente daqueles que não dependem de eventos externos. O cálculo também promove o auto-conhecimento empresarial, uma vez que os dados são analisados de forma conjunta e não somente individual.

As empresas devem utilizar a tecnologia a seu favor nesse momento. Ferramentas gerenciais (como o Gpam), auxiliam a efetuar essas análises de dados e a organizar as informações de modo a entender os impactados de determinados resultados no planejamento estratégico.

 

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Desvio_padrão

Créditos da imagem de capa: freepik.com

2 thoughts on “Estatística 1 – Utilizando o Desvio Padrão na análise corporativa”

  1. OLÁ. GOSTEI MUITO DO TEXTO. UMA QUESTÃO:
    QUANDO VC MENCIONA “O desvio padrão está com um valor próximo de 10% em relação a média dos valores, indicando que há uma dispersão muito elevada…” PODEMOS CONCLUIR QUE QUANDO O DESVPAD ESTIVER PERCENTUALMENTE MENOR EM RELAÇÃO A MÉDIA DOS VALORES, MENOR TAMBÉM SERÁ A DISPERSÃO. OU SEJA: UM DESVPAD DE 3% DO VALOR DA MÉDIA DOS VALORES, POR SI SÓ É MELHOR QUE UM DESVPAD DE 10% DO VALOR DA MÉDIA DOS VALORES?
    GRATO

    1. Olá Marcos, seu pensamento está correto. Na verdade não devemos pensar em desvio padrão como “menor” ou “maior” em relação a média, mas sim, do seu nível de proximidade com a média dos valores (para mais ou para menos). Quando eu disse “O desvio padrão está com um valor próximo de 10% em relação a média dos valores”, quero dizer que esse valor de 10% pode ser maior ou menor que a média, quanto maior esse percentual, maior a dispersão dos dados e mais difícil se torna a previsibilidade.
      Obrigado pelo seu comentário. Fique a vontade para continuar contribuindo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *