Dados Integrados geram Resultados Íntegros

Em qualquer sistema de informação voltado a gerência do negócio, os dados nele introduzidos devem conduzir a empresa ao crescimento e ao esclarecimento da situação atual em que a organização se encontra. Não é preciso dizer da importância quanto a integridade dessas informações, principalmente nos sistemas que induzem os gestores à tomada de decisão. Imagine os desastres que um indicador com informação desatualizada ou imprecisa pode causar a uma instituição que toma suas decisões baseadas nas métricas internas.

Integração de dados

É preciso, portanto, que a integridade dos números apresentados seja 100% garantida e real. O gestor precisa confiar plenamente nas informações a ele exibidas e a melhor forma de garantir isso, é reduzindo o número de etapas pelas quais um determinado dado passa antes de chegar ao sistema de planejamento estratégico utilizado. A integração direta de dados serve justamente para isso, para obter as informações diretamente do local onde são geradas, sem intermediários ou manipulações desnecessárias.

Uma ferramenta digital para a manutenção do planejamento estratégico, como o Gpam, contém informações altamente estratégicas, que são geralmente obtidas a partir de um outro conjunto de informações operacionais localizadas em ERPs, CRMs ou até em planilhas. Esses sistemas, geralmente dispõem de formas para extração dos dados, ou até mesmo, permitem o acesso a seus bancos de dados para consultas.

Esses processos de integração precisam ser desenvolvidos individualmente de acordo com o tipo de indicador ou métrica a ser coletada. Porém, uma vez realizada a construção do mecanismo automatizado, o sistema de gestão passa a conter a informação em tempo real, sem a necessidade de alimentação manual e com garantia de integridade.

Claro, que nem tudo é perfeito. Esses mecanismos automatizados precisam ser revisados periodicamente e ajustados conforme a alteração das fontes de dados e dos novos indicadores criados ou excluídos durante a revisão do planejamento estratégico. De nada adianta também ter um processo de integração com garantias de integridade, se os dados na fonte estão errados. Quanto mais sistemas utilizam uma determinada informação, mais cuidados com a sua veracidade são necessários.

No planejamento estratégico, quanto maior o percentual de indicadores automatizados, maior a taxa de informações atualizadas (uma vez que não depende de pessoas para alimentar o sistema) e maiores as possibilidades de análise estratégicas com base em informações reais e não contraditórias. É claro que nem todos os indicadores poderão ser automatizados, pois algumas informações só poderão ser obtidas através dos resultados de outros indicadores ou por processos unicamente estratégicos.

E a sua empresa, como faz? Fique a vontade para deixar seu comentário!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *