Planejamento: 4 perguntas que te levam ao pensamento estratégico

Assim que você decide optar pelo desenvolvimento de estratégias, é importante que você e sua equipe tenham um pensamento equivalente e uma compreensão comum do processo de criação de uma estratégia. Ao mesmo tempo, é imprescindível que essa equipe possua a diversidade necessária para criar diferentes ideias e cenários com mais variáveis. Pode parecer um pouco contraditório, mas é isso mesmo: é necessário um conjunto de diferentes ideias orientado por um pensamento estratégico comum.

Esse pensamento estratégico pode ser estimulado com quatro perguntas simples, que se respondidas, permitem traçar mais facilmente as atividades a serem realizadas e unificam o pensamento estratégico.

 

Pensamento estratégico

 

Pergunta 1: Como estou hoje?

O autoconhecimento é essencial para identificar o que será necessário fazer para atingir o estado desejado. Saber se localizar no mercado, a situação da concorrência, identificar qual o perfil dos clientes atuais, qual o desempenho dos processos internos, a performance das equipes, seus pontos fortes e pontos fracos. Todas essas variáveis são úteis para formar o pensamento crítico do negócio.

A análise SWOT é uma ótima ferramenta para dar uma visão geral, mas é preciso também construir indicadores que irão lhe auxiliar a acompanhar o desempenho de uma forma mais distribuída e, desta forma, lhe dar uma ideia da força do motor organizacional.

 

Pergunta 2: Como quero estar no futuro?

O passo seguinte é identificar os anseios da empresa e do seu grupo gestor. Pode-se começar efetuando uma análise do estado atual e avaliando a lacuna a ser recuperada. O resultado dessa análise fará parte da visão institucional e será o fundamento sobre o qual a empresa passará a construir seu futuro.

 

Pergunta 3: Como eu chego lá?

Essa é a pergunta mais desafiadora a ser respondida. Avaliando as capacidades internas e os cenários externos em comparação com a lacuna a ser recuperada entre o estado atual e a visão, será possível iniciar a estruturação de projetos de melhoria. Neste momento o grupo gestor precisará definir os investimentos a serem feitos, os processos a serem criados e as pessoas a serem responsabilizadas. Todas essas informações auxiliarão no planejamento da execução da estratégia definida.

 

Pergunta 4: Como eu monitoro o meu progresso?

Encontrada a lacuna e definida a estratégia de recuperação, é preciso criar formas de acompanhamento da sua execução. Esse monitoramento é necessário para garantir que os projetos sejam executados dentro dos prazos e custos estipulados, mas acima de tudo, é essencial para validar a efetividade da estratégia.

Se errar, erre cedo. O acompanhamento dos indicadores e projetos vinculados à estratégia, permite que o grupo gestor detecte antecipadamente as deficiências do seu planejamento e promova os ajustes necessários. Ferramentas digitais como o Gpam, permitem que esse acompanhamento seja efetuado de forma mais prática e assertiva, além de apontar os problemas de forma clara.

Respondendo a essas quatro perguntas, o gestor terá uma visão muito mais clara das etapas a serem cumpridas para o alcance dos objetivos estratégicos, além de possibilitar detecção antecipada dos possíveis imprevistos. Assim como o pensamento científico, o pensamento estratégico exige que todas as estratégias passem por constante análise crítica em busca de inconsistências a serem resolvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *